(Mbot) Robô formiga



Conjunto de robots que produzem pinturas e desenhos baseados na aleatoriedade e na stigmergia (comunicação indirecta). Cada robot possui uma ou mais canetas com as quais responde a uma interpretação sensorial do ambiente. No início (com a tela ou papel em branco) a tinta é distribuída aleatoriamente. Mas a partir do momento em que se produzem pequenas manchas de cor, o factor aleatório desaparece gradualmente, e os robots tendem a concentrar-se nas áreas coloridas criando assim uma composição formal. Do aleatório emerge a estrutura.
Para a ciência estes robots constituem, em espaço e tempo real, uma demonstração das teorias do caos e da complexidade.
Para a arte trata-se de uma verdadeira revolução estética, não só pelo declínio da centralidade do humano, dando lugar a uma arte não-humana, como pelo facto de com este projecto se dar origem a formas de vida artificial capazes de produzir a sua própria arte.








Progresso de uma pintura



<- Entrada